Trio Virtuoso

Qual é a Relação Entre Fé, Esperança e Amor em 1 Coríntios 13:13?

Paulo escreveu: “Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor” (1Co 13:13, NVI). A importância desse trio de virtudes cristãs é assinalada pelo fato de ele ser mencionado várias vezes no Novo Testamento (1Ts 1:3; 5:8; Gl 5:5, 6; Hb 6:10-12; 1Pe 1:21, 22). No meio dessa formulação de Paulo está a esperança, que serve de ponte entre a fé e o amor. Enquanto a esperança orienta os cristãos em direção ao futuro, a fé oferece conteúdo para a esperança, e o amor energiza os dois para o serviço. Vejamos:

1. Fé e esperança: A esperança conduz a fé em direção ao futuro e a desafia a perseverar em meio às grandes adversidades, lembrando-a de que há muito mais no porvir do que o que vemos e vivemos agora. O presente não é a expressão final da realidade cósmica. Algo novo e maravilhoso está chegando. Assim, a esperança nos habilita a esperar, confiar e a resistir, oferecendo, como uma âncora, estabilidade à fé (Hb 6:19, 20). Uma vez que a esperança consiste em confiar plenamente nas promessas de Deus, reconhecendo que Ele é digno de confiança, a fé como atitude de dependência de Deus é inseparável da esperança. A fé nos informa que Jesus não é apenas Aquele que há de vir, mas Aquele que já veio, trazendo a nós a reconciliação. Essa convicção serve de fundamento sólido para a espera. Juntas, a fé e a esperança nos lembram que somos peregrinos a caminho da cidade eterna (Hb 11).

2. A esperança e o amor: A esperança é dinâmica, não permitindo que o amor se transforme num puro sentimentalismo obcecado por seu objeto imediato de desejo. Por sua vez, o verdadeiro amor desafia a esperança a agir no presente. Ele antecipa e materializa a existência futura que será marcada pelo cuidado abnegado do próximo. O modelo desse tipo de vida é o próprio Jesus (Mt 4:23). A libertação das doenças e dos poderes do mal estiveram presentes no ministério Dele, como uma ilustração da qualidade de vida que caracterizará o reino futuro de Deus.

3. Fé, esperança e amor: Essas três virtudes não são naturais ao ser humano. São o resultado da presença do Espírito de Deus na vida humana. Paulo qualifica o amor a maior dessas virtudes, porque nas mãos de seres humanos corruptos, a fé e a esperança, sem o amor, podem se transformar em forças opressivas. O amor nos garante que a fonte da fé e da esperança está em Deus que, por natureza, é amor (1Jo 4:8). É possível dizer que fé, esperança e amor juntos constituem o perfil básico do cristão. Tal experiência religiosa leva o crente a ter fé na obra de Cristo em seu favor; esperança de que a consumação de sua salvação se aproxima; e o amor que o liberta de seu egoísmo e o impulsiona a servir a Deus e aos outros.

Data: 
10/18
Translation: