1 Coríntios 15:28

O que Paulo quer dizer quando ele afirma que no fim “o próprio Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, a fim de que Deus seja tudo em todos” (1 Co 15:28)?*

Em 1 Coríntios 15 Paulo está respondendo àqueles que mantêm que não existe ressurreição dos mortos. Seu principal argumento é que “se Cristo não ressuscitou, inútil é a fé que vocês têm, e ainda estão em seus pecados,” e os Cristãos que morreram estão perdidos (versos 17, 18). Nos versos 20-28, o apóstolo discute as consequências teológicas e implicações dessa conclusão.

1. A Ressurreição de Jesus como as Primícias: Paulo afirma: “Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos” e chama esse evento de “primícias dentre aqueles que dormiram” (verso 20). A ressurreição de Jesus é uma precursora de uma ressurreição-colheita futura e torna a colheita possível. Para ilustrar, Paulo contrasta a experiência de Adão com essa de Jesus. A morte veio através de Adão; a vida através de Cristo. A frase “em Adão todos morreram” não significa apenas aquilo que seus descendentes receberam através de ele, como seu   representante, os resultados de seu pecado, mas também que eles se aliaram a ele (Rm 5:12). Aqueles que estão “em Cristo” são os que O escolheram. Enquanto toda a raça humana está por natureza e escolha pessoal em Adão, somente aqueles que escolhem a salvação através de Cristo estão Nele e “serão vivificados” (1 Co 15:22).

2. A Ordem dos Eventos do Fim do Tempo: A ressurreição de Cristo assegurou a ressurreição dos crentes. O próximo evento é a ressurreição dos “que lhe pertencem” (verso 23). Esta é uma interpretação da frase anterior, “em Cristo todos [aqueles que Lhe pertencem] serão vivificados” (verso 22). Eles são a colheita da qual Cristo é as primícias. Este evento ocorrerá “quando ele vier.”

Essa ressurreição é seguida pelo "fim," a consumação do plano de Deus, quando a vitória de Cristo sobre o mal for consumada. O reino Messiânico durará até que Cristo derrote totalmente esses poderes. A frase “postos debaixo de seus pés” é uma frase militar, referindo-se à vitória de Cristo sobre o inimigo. Paulo não detalha como e quando isto acontecerá – se em conjunção com ou algum tempo depois do retorno de Cristo. O cenário de João se ajusta bem no sumário de Paulo. Nesse caso o “fim” incluirá o reino milenar de Cristo (reino Messiânico) seguido pelo extermínio total do ímpio e da própria morte (Ap 20).

3. “A Fim de Que Deus Seja Tudo Em Todos”: No encerramento do conflito cósmico todas as coisas serão trazidas em sujeição ao Filho de Deus; tanto os salvos como os ímpios reconhecerão o amor e a justiça de Deus (Fp 2:10, 11). A harmonia cósmica será uma realidade, o alvo do plano da salvação será alcançado, e o Filho legará o reino ao Pai. Deus confiou a Ele a responsabilidade de restaurar a raça humana ao seu estado original de perfeição; e o Filho, através do poder redentor de Seu sangue, executou a tarefa (cf. Cl 1:19, 20). Todos estarão em submissão ao Filho. É este mundo redimido que Jesus devolve ao Pai. Mesmo agora o Filho é sujeito a Ele.

O reino do Filho, por assim dizer, imerge no reino cósmico de Deus. Esta subordinação do Filho se refere a uma submissão funcional e não a uma descrição dois relacionamentos inter-Triitários (cf. Jo 1:14; 17:5). Como Deus encarnado o Filho voluntariamente Se submete ao Pai (cf. Mt 26:39), Ele foi entronizado no templo celestial como Salvador e Rei, e Ele está intercedendo por nós no santuário celestial (1 Tm 2:5). No final do conflito cósmico o Senhor exaltado Se colocará sob o Pai. Deus será o Senhor soberano do universo. Observe que a passagem não diz: “que o Pai seja tudo em todos,” mas “que Deus seja tudo em todos.” Como parte da Divindade Cristo participa da soberania absoluta de Deus, mas como Deus encarnado Ele continua a Se submeter voluntariamente ao Pai. Isto significa que através de toda a eternidade Jesus permanecerá humano. A humanidade redimida se submeteu voluntariamente a Deus, e agora Jesus, que pertence a essa humanidade, fará o mesmo. Essa submissão é parte do Seu sacrifício eterno em nosso favor.
 
*Os textos desta coluna são citados da Nova Versão Internacional.

Data: 
4/14/05
Translation: 
Translated by a volunteer