Honrando o Deus Criador

É verdade que alguns cientistas e teólogos Adventistas já não acreditam mais que Deus criou tudo em seis di

A resposta curta é: "Sim, é verdade." Em sua carta, você também perguntou por que esse é o caso. Eu não posso entrar em todos os detalhes, mas vou lhe dar algumas das principais razões por trás de suas opiniões. Deixe-me esclarecer que o número de teólogos Adventistas abraçando algum tipo de modelo evolutivo é muito pequeno. Eu suspeito que o mesmo se aplica aos cientistas. Entre os teólogos, a questão fundamental relaciona-se com a metodologia adequada de interpretar a Bíblia. Sua leitura de Gênesis 1-11 é baseada em uma compreensão particular de revelação e inspiração.

1. Revelação e Inspiração:Os Adventistas acreditam que a Bíblia é sua própria intérprete. Isso se baseia na convicção de que seu autor supremo é Deus; que, uma vez que existe um autor, há uma unidade fundamental na mensagem da Bíblia; e que uma passagem deve ser interpretada em seu sentido literal a menos que o contexto aponte em uma direção diferente. Aqueles que promovem alguma forma de evolucionismo dentro da igreja têm rejeitado ou questionado a maioria desses princípios. Na área de revelação e inspiração, eles enfatizam a inspiração do pensamento – que Deus só revela pensamentos e ideias aos profetas. Esse ponto de vista, levado ao extremo, limita a autoridade da Bíblia. Com relação a Gênesis 1 e 2, isso significa – para eles – que Deus não revelou ao escritor bíblico como Ele criou. Para eles a pergunta é: Qual foi a ideia ou o pensamento que Deus revelou ao profeta? Eles respondem: Deus estava revelando que Ele foi o Criador. Uma vez que o texto, dizem eles, não define como Ele criou, a resposta a essa pergunta poderia ser a evolução. Em vez de permitir que a Bíblia interprete a si mesma, o que neste caso significaria que Deus é o Criador porque Ele criou tudo em seis dias, eles concluem arbitrariamente que ela não responde à pergunta do “como.” Pode-se até sugerir que eles primeiro aceitam a evolução como um conceito e, em seguida, reinterpretam o texto para fazê-lo se encaixar em suas conclusões anteriores.

2. Pressupostos Trazidos ao Texto:Esses teólogos usam materiais não bíblicos para determinar o significado do texto bíblico. Eles argumentam que a narrativa da criação bíblica não deve ser interpretada literalmente porque este tipo de literatura era comum no antigo Oriente Próximo, onde servia para transmitir a ideia de que um deus em particular era o criador supremo. Esse argumento é então aplicado a Gênesis 1 e 2. Mas as narrativas da criação do antigo Oriente Próximo dificilmente descrevem um deus em particular criando tudo. Na verdade, os estudiosos agora consideram uma das mais longas dessas narrativas como sendo uma história de propaganda destinada a justificar o papel supremo de um deus sobre os outros deuses, não uma narrativa da criação.

Além disso, Gênesis 1 e 2 são únicos no antigo Oriente Próximo. Nenhum dos antigos textos se aproxima dele em termos de estilo narrativo, organização e profundidade teológica. Em Gênesis, parece que temos uma testemunha descrevendo o que ela viu. Essa singularidade o coloca em uma categoria diferente, a categoria de revelação bíblica. Alguns desses estudiosos concluíram que a força explicativa da evolução natural foi suficiente para estabelecer sua confiabilidade. Agora a “ciência” é usada para definir a teologia e a doutrina Cristãs.

3. Sua Preocupação:O espaço não me permite dizer mais sobre a tragédia dos Adventistas que são evolucionistas. Mas quero abordar a preocupação expressa em sua comunicação sobre o que os pais Adventistas devem fazer nesta situação. Concordo que ter professores em nossas faculdades e universidades argumentando e apoiando a ideia de que a evolução natural é a melhor alternativa para a compreensão das origens é abusivo. Eles não só violam o significado do texto bíblico, mas também violam a confiança que a igreja colocou neles, chamando-os para ensinar nossos jovens.

Suas alternativas são poucas. Lembre-se, você está pagando para que seus filhos obtenham uma educação Adventista; e se a escola não está fornecendo o que você está pagando, você tem que tomar uma decisão. Isto é o que eu sugiro: Visite nossas faculdades e converse com os professores sobre suas opiniões a respeito da evolução natural e sua interpretação de Gênesis 1 e 2. Se você está insatisfeito com suas respostas, desencoraje seu filho ou filha de frequentar essa escola. A maioria dos professores em outras escolas Adventistas apoiam o que a Bíblia ensina. Você também pode querer informar a administração da escola sobre suas descobertas.

Data: 
7/09
Translation: