Isaíah 65:20


Isaías 65:20 diz que haverá morte nos novos céus e na nova terra. Como poderia ser isso?


Isto é o que o verso diz: “Não haverá mais um infante que viva apenas uns poucos dias, nem um velho que não cumpriu os seus dias; pois a criança morrerá com cem anos de idade, mas o pecador tendo cem anos de idade será amaldiçoado” (NKJV). Esta promessa de vida longa na presença do pecado e da morte vem no contexto de um anúncio divino: “Pois eis que eu crio novos céus e uma nova terra” (verso 17). O contexto (versos 17-25) descreve a transformação da sociedade (versos 18, 19, 22-24), da natureza (verso 25), e do relacionamento das pessoas com Deus (versos 19, 24). Para responder a esta pergunta, precisamos explorar o conceito de “novo” em Isaías.

 1. Novos Céus e Nova Terra: A frase “novos céus e uma nova terra” designa uma nova criação (versos 17-25; 66:22; cf. Gn 1:1), que, segundo Isaías, irá deslocar-se totalmente e pôr fim às primeiras coisas. A “nova” obra de Deus é tão radical que “as coisas passadas não devem ser lembradas” (Is 65:17). A alegria absoluta prevalecerá (verso 18), o choro e a lamentação desaparecerão para sempre (verso 19), e a natureza dos animais selvagens será transformada (verso 25). O profeta ainda anuncia que Deus “tragará a morte para sempre” (Is 25:8, NKJV) através da ressurreição de Seu povo. Esta será a derradeira derrota da morte. Para o profeta esta é uma expectativa do fim do tempo, um retorno ao paraíso de Deus.

2. Israel e o Novo em Isaías:O “novo” é um conceito muito importante em Isaías. Deus anuncia ao Seu povo coisas novas “antes de surgirem” (Is 42:9). Na verdade, Ele já está fazendo “uma coisa nova” (Is 43:19). Esta coisa nova é a Sua obra de redmir Israel, a sua libertação do exílio, e o seu regresso a Jerusalém. A coisa nova é a Sua obra de salvação dentro do fluxo da história. Este evento afetará a natureza (versos 19, 20), e trará a cura para o Seu povo (Is 42:16). O que é particularmente novo é que na libertação de Israel, a nação em si não vai desempenhar qualquer papel. Deus usará o rei Persa (Is 44:24-45:7), ela será baseada na graça perdoadora de Deus (Is 43:25), e as nações se beneficiarão dela (Is 45:22-24).

Esta obra nova, radical, e única de salvação ocorre dentro da história de Israel e não traz imediatamente a história das nações a um fim. O reino Medo-Persa ainda está no poder, mas Deus o usa para trazer à existência algo totalmente novo. Os velhos poderes opressivos coexistem com a nova criação que Deus já está trazendo à existência. O que o Novo Testamento chama de “esta era” e “a era por vir” (Mt 12:32, NKJV), é descrito em Isaías simultaneamente presentes na arena da história humana.

Em Isaías a nova criação não é totalmente no futuro. Ele entrou de repente no presente através da gloriosa obra de redenção e perdão de Deus. O verso que você citou anuncia que, mesmo agora, na atual existência de Israel, Deus já está derrotando a morte. Essa ideia é expressa por meio da promessa de longevidade e da eliminação da mortalidade infantil (Is 65:20). Esta promessa aponta para os limites impostos sobre o poder da morte e prediz o futuro fim da morte. Através dessa linguagem, Deus lhes informa que a nova criação já está aqui, que a morte está sendo derrotada, e que está indo para a extinção na consumação da nova criação.

3. O Novo em o Novo Testamento:Na era da salvação, iniciada por Cristo, a era maligna do pecado e da morte coexistem (cf. Gl 1:4; Hb 6:5). A derrota da morte já é uma realidade através da obra redentora de Cristo (Ap 1:18; Hb 2:14). Através Dele a nova criação é uma realidade presente, e os crentes fazem parte dela (2Co 5:17; Gl 1:4). Ela já está aqui como uma promessa, como um dom, como um processo pelo qual os pecadores são transformados à semelhança de Cristo (2Co 4:16). Estamos agora à espera do final perfeito dessa salvação (Rm 8:19-23; Ap 21:1).



Data: 
10/05
Translation: